Marcos Mion e Pankeka

Marcos Mion, apresentador, ator e escritor brasileiro. Casado com Suzana. Pai de Romeo,Donatella e Stefano e de uma turma de cachorros que são a alegria da casa. Tivemos uma conversa com ele onde nos conta como os animais mudaram a vida de toda a família.

– Como a Pipoka e Paçoca chegaram na sua vida?
Um dia a Suzana viu uma foto de um Golden Doodle no insta e foi correndo mostrar pra Doninha: “Olha filha! Que cachorro mais lindo e fofo! Que raça maravilhosa que fizeram”!
Parece até que ela não leu o manual de “do’s and dont’s” para uma menina de 9 anos! Hahaha! Doninha SURTOU e não conseguia mais fazer nada da vida a não ser ver fotos de Golden Doodles e pesquisar canis que já tinham ninhada.
Para o desespero da Suzana que a essa altura já tinha se arrependido totalmente de ter empolgado a Doninha com essa história porque viu que eu não ia deixar ela sem o cachorro que estava obcecada e também porque já tínhamos a Pankeka que é gigante, a Doninha tanto fez que achou uma PetLand que vendia! Mostrou pra gente pelo iPad, apontou o dedo em um filhote e disse “é essa que eu quero, papai…” (leia com a mais fofa, melada e convincente voz possível). Essa cachorrinha que ela apontou na foto, dentre muitas que até já haviam sido vendidas, era a Pipoka! De verdade! A própria!! Nos chegamos com a foto lá e lá a encontramos! Era pra ser!!

Nesse dia aliás, fomos embora sem a Pipoka por que Dona Suzana preocupada com o óbvio, que nos moramos em um apartamento, não deixou a gente levar! Imagina?? Pegamos ela no colo, brincamos e tivemos que ir embora sem ela. Não preciso dizer que foi um choro constante dos 4: Doninha, Romeo, Tefo e eu, até em casa!
Aí o coração de mãe não aguentou e falou mais alto que a razão! No dia seguinte acordamos e fomos buscar a Pipoka! Pra alegria de todos, aliás, talvez a mais alegre era a própria Suzana!
Por isso eu sabia que ela ia aceitar que a gente ficasse com mais uma no nosso apartamento! Porque por mais que ela diga não e não é não, na hora que pega no colo…. meu amigo…hahahaha…. não tem coração que não derreta!!

– Como é a personalidade deles?
Pankeka é um ser humano! Inteligente, obediente, entende tudo e é MUITO apegada a mim. Chora muito e muito alto todos os dias quando eu chego à noite, uma filhinha de papai! Hahaha! Mas é ranzinza. Não gosta de criança que não conhece apertando ela sem parar.
Pipoka é a alegria em forma de cachorro! E muito amorosa! Pula na gente com as 4 patas, já lambendo, dorme de concha a noite inteira (Pankeka também dorme na cama, mas sai da concha em 5 minutos), é muito engraçada, ágil, muito inteligente, é incapaz de sequer iniciar um projeto de rosnado.
Super apegada à Suzana, mas no processo de gravidez ela se voltou totalmente a mim. Tanto que montou o ninho do parto só com roupas minhas, coisa mais linda!

– Pipoka foi mãe! Parabéns para toda a família. Como foi o nascimento desses bebezinhos?
O parto começou enquanto eu estava ao vivo comandando a Prova do Fazendeiro, mas cheguei a tempo de fazer o parto da última menina! A sexta! Sim, forma seis meninas! .
Quem foi responsável foi minha amada mulher Suzana que, na minha ausência, mostrou mais uma vez que tem instinto materno dos mais apurados e fez os primeiros partos até o Zanini, o especialista que nos acompanhou, chegar.
O instinto animal de sobrevivência é a coisa mais linda que existe no mundo. A natureza é soberana! Ver a Pipoka limpando os filhotes, cortando o cordão e agora cuidando deles, foi muito emocionante!
Das bebês, a Paçoka vai morar diretamente com a gente. A Picanha e a Patê com meu sogro, ou seja, estarão muito próximas, a Pizza ficou com o André Poloni e vai visitar sempre. A Pistache e a Polenta foram pro Tom Cavalcante, dono do Riba que é pai das bebês. Uma delas, a Polenta, mudou de nome e o Tom deu pro Tirulipa, ou seja, também da pra acompanhar ela!

-Todos os cachorros têm nome de comida, tem alguma razão?
Começou com a Doninha que escolheu Pankeka, escrito assim mesmo! Ela tirou da cabeça dela o nome e todos nós adoramos.
Quando veio a Pipoka ainda pensamos, mas optamos em seguir com nomes de comida e ela é branca, puffy e encaracolada…Pipoka, né?
Aí foi natural! Depois de duas comidas com P, decidi que com os filhotes seguiríamos na mesma linha, comidas com a letra P!
E aí vieram Paçoka, Pizza, Polenta, Picanha, Pistache e Patê.
E só depois que elas viralizaram e bombaram na internet que percebemos quanta comida boa existe com a letra P! Ainda faltou Porpeta, Pirulito e por ai vai…

Últimas Matéria de Capa

Edição especial: Quarentena com cachorros

Laura Neiva e sua família

Sin Comentarios