Rafael Mantesso e Jimmy Choo

Com mais de 600 mil seguidores no Instagram, o publicitário e seu bull terrier fazem sucesso nas redes sociais com as fotos mais adoráveis que um feed de novidades pode ter.

Quem é Rafael Mantesso?

Essa é a pergunta mais difícil que existe. Tenho 36 anos e estou até hoje tentando entender quem sou eu (risos).

Quem é Jimmy?

Jimmy Choo é um bull terrier incrível, como todos os bulls. Amoroso, companheiro, ciumento, carente, teimoso, bagunceiro, forte, determinado, cheio de energia e carinho. Foi o segundo cachorro da minha vida, mas o meu primeiro grande amor.

Como Jimmy chegou na sua vida?

Eu tinha tido um pitbull adolescente quando ainda morava com meus pais. Adorei aquela força toda, a energia e a doçura. Desde então me apaixonei pelos bulls e o bull terrier era o cachorro dos sonhos, o mais lindo, o bull perfeito. Quando me casei, decidi junto a minha esposa na época ir atrás de um. Conheci uma criadora super responsável e fã incondicional da raça e depois de muitas entrevistas ela decidiu me vender o Jimmy. Desde então tenho tido doses cavalares de amor incondicional todos os dias, há 9 anos.

Como você educa ele?
Os bulls não são os cães mais espertos do mundo. São muito teimosos e com personalidade forte. Eu me preocupei em ensinar para ele o ‘NAO’. Sabendo o que não deve ser feito, fica tudo certo. Não vejo graça em cachorro de circo que deita, rola, finge de morto, canta, faz malabarismo. Cão tem que ser cão.

No que vocês se parecem?

Somos antisociais com a nossa espécie, leais e não gostamos de calor. Gostamos muito de frutas e embutidos, somos vesgos e temos muitos cabelos brancos.

Se ele fosse um ator de cinema…quem seria Jimmy?

Daniel Day Lewis, o melhor de todos os tempos.

Você vem trabalhando com Jimmy em vários locais. Como está o Brasil em comparação a outros países do mundo em relação a cidades petfriendly?

O Brasil definitivamente não é um país que me orgulha nesse sentido. Acho que ainda estamos engatinhando no que diz respeito aos direitos dos animais. O mesmo país que tem padaria gourmet para pets na rua mais cara da cidade, tem segurança de supermercado matando cachorro a paulada. Enquanto houver abandono e maus tratos, não faz sentido existir esse tipo de serviço.

Fotos: Rodrigo Sodre

Texto: Chantal Sordi

Últimas Entrevistas

Lu Lima & Mafalda

Vareta, The Queen Lady

BONO Surf Dog

Stella, a filha da selva

Sin Comentarios